Página Inicial
Notícias
Acesso à informação
    1. Introdução
    2. Metodologia

1. Introdução:

As expectativas dos agentes econômicos quanto aos cenários futuros da economia constituem-se em importante parâmetro para decisões de investimento. Diante de expectativas de expansão ou retração, o agente econômico baliza suas decisões, de modo que o que era mera expectativa tende a torna-se realidade devido ao comportamento racional dos tomadores de decisões econômicas. Assim, se o cenário projetado pelas consultorias internacionais é, por exemplo, de recessão, o investidor freia suas inversões produtivas justamente pela expectativa de retração de demanda para seus produtos.

As projeções, estimações e previsões para a economia nacional ou internacional, realizadas por diversas consultorias atuantes no mercado, sejam previsões setoriais ou agregada, são baseadas em séries temporais, utilizando-se de dados passados em seus cálculos. A literatura econômica consagrou dois tipos de expectativas: 1) as expectativas adaptativas e; 2) as expectativas racionais. A diferença entre elas é que na segunda existe a hipótese de que os agentes aprendem com o erro passado, e, portanto, ajustam suas expectativas no tempo, porém, ambas utilizam-se de informações passadas para traçar cenários futuros.

Apesar de todos os esforços em traçar cenários, sempre prevalece um elevado grau de incerteza e especulação em relação ao futuro. Neste sentido, captar as expectativas do setor produtivo revela-se um instrumento significativo na tentativa de reduzir o grau de incerteza no ambiente econômico. Esta é a proposta do Indicador de Confiança do Empresariado Baiano: um indicador, baseado em pesquisa perante as entidades representativas do setor produtivo, que capte as expectativas empresariais quanto a determinados pontos da economia baiana e do desempenho específico dos setores.

 

Voltar ao topo

 

2. Metodologia

A proposta é que o indicador de confiança seja divulgado mensalmente. O processo de construção do indicador passa por duas etapas. A primeira consiste numa pesquisa junto às entidades representativas do setor produtivo. A segunda corresponde ao cálculo do indicador com base nas informações pesquisadas.

2.1.A Pesquisa de Confiança do Empresariado Baiano

A Pesquisa de Confiança do Empresariado Baiano é realizada mensalmente pela SEI diretamente com os setores produtivos do Estado da Bahia. As perguntas do questionário buscam saber expectativas para o mês seguinte e para os próximos doze meses. O questionário está dividido em duas partes: a primeira versa sobre as expectativas da entidade sobre o comportamento de variáveis macroeconômicas; e a segunda sobre expectativas quanto ao desempenho das empresas do segmento entrevistado. Cada parte contém um conjunto de perguntas que apresentam cinco possibilidades de resposta. As respostas de cada questão apresentam possíveis cenários para os próximos doze meses.

A amostragem da pesquisa é não-probabilística intencional. Foram selecionadas 40 entidades representativas dos setores serviço, comércio, indústria e agropecuária.

2.2.O Indicador de Confiança do Empresariado Baiano

Para o cálculo do indicador é necessário mensurar as respostas qualitativas do questionário. Atribui-se o valor 1000 para a resposta mais otimista; 500 para resposta confiante; 0 para a intermediária; - 500 para a não confiante e -1000 para a mais pessimista. O cenário para cada tema das respectivas questões é:

Onde Ci é o cenário esperado para a questão i; n é o número de entidades que responderam a questão i; e xi é a pontuação da resposta da questão específica i.

Os cenários esperados podem ser obtidos por:

Onde Ta é o cenário esperado específico a; Ci é o cenário esperado para a questão i; e q é a quantidade de questões do questionário.

Estes passos são seguidos para cada setor individualmente, portando, representa o indicador de confiança para o setor específico a. Uma vez calculados os indicadores setoriais, o Indicador de Confiança do Empresariado Baiano (ICEB) é obtido através da média ponderada dos indicadores setoriais (pelo valor adicionado de cada setor). O resultado é classificado de acordo com sua posição na escala de grau de otimismo:

Voltar ao topo

 

Voltar ao topo