Página Inicial
Notícias
Acesso à informação

 

Serviços

O volume de serviços na Bahia caiu 0,3% no  mês de novembro  em relação a outubro de 2021, com ajuste sazonal. As informações com foco no segmento baiano, analisadas nesta quinta-feira (13) pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), autarquia vinculada à Secretaria do Planejamento (Seplan), constam na Pesquisa Mensal de Serviços, realizada pelo IBGE.

Nessa análise o resultado da Bahia não seguiu o mesmo comportamento do Brasil (2,4%), mantendo a retração iniciada no mês de setembro (-1,3%), acumulando uma queda de 4,4% nos três últimos meses. É importante destacar que o mês de novembro do ano corrente foi marcado pela manutenção das medidas de contenção a pandemia na Bahia, diminuição da renda da população, e aumento da inflação que refletiu no resultado do setor.

Em relação ao mesmo mês do ano anterior, o volume de serviços na Bahia caiu 0,3%. Duas das cinco atividades puxaram o volume de serviços para baixo, com destaque para as atividades de Outros serviços (-28,5%), registrou a variação negativa mais significativa, seguida pela atividade de Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (-11,0%), a segunda taxa negativa, após registrar sete taxas positivas consecutivas nesse ano. Por outro lado, a atividades que contribuíram positivamente foram, Serviços prestados às famílias (55,4%), que contabilizou a oitava variação positiva consecutiva mais expressiva e maior alta da série iniciada em 2012, para os meses de novembro. Essa atividade também apresentou resultado superior àquele observado no mesmo mês do ano anterior (-23,7%), seguida pela atividade de Serviços profissionais, administrativos e complementares (1,6%) apontou a nona taxa positiva consecutiva neste ano. Serviços de informação e comunicação (0,7%) apresentou a oitava taxa positiva consecutiva neste ano.

O indicador no acumulado no ano ampliou 10,1%, puxado pela atividade de Serviços prestados às famílias (52,0%), que apontou a mais expressiva variação positiva, seguida por Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (11,2%), depois Serviços profissionais, administrativos e complementares (4,1%), e Serviços de informação e comunicação (0,5%). E, no indicador do acumulado nos últimos 12 meses cresceu 8,9%, impulsionado principalmente, Serviços prestados às famílias (41,1%).

Com relação à receita nominal de serviços, houve expansão de 7,4% na comparação com novembro de 2020. O indicador no acumulado no ano ampliou 13,8% e o indicador no acumulado nos últimos 12 meses cresceu 12,2%.

 

Turismo

 

No que tange ao volume das atividades turísticas, na comparação com o mês imediatamente anterior, a atividade apresentou queda de 0,4%, motivada principalmente, pela queda na receita de empresas que atuam nos ramos de hotéis; transporte aéreo; restaurantes; serviços de bufê; e rodoviário coletivo de passageiros.

Em relação ao mesmo mês do ano anterior, o volume das atividades turísticas na Bahia expandiu 44,5%. É importante ressaltar que, em termos de variação, a Bahia contabilizou a segunda taxa mais expressiva, ficando entre Minas Gerais (48,3%) e Rio Grande do Sul (44,4%). Esse resultado se deve, em parte, à queda de 22,6% registrada em novembro do ano passado e pela leve retomada na maioria das atividades econômicas relacionadas ao setor.

Com relação à receita nominal, houve expansão de 59,3% na comparação com novembro de 2020. O indicador no acumulado no ano ampliou 47,6% e o indicador no acumulado nos últimos 12 meses cresceu 37,1%.

 

 

Curta, acompanhe e compartilhe: Instagram: https://www.instagram.com/seibahia/

Twitter https://twitter.com/seibahia –Facebook: https://www.facebook.com/SeiBahia

Linkedin https://www.linkedin.com/company/sei-bahia

Fonte: Ascom/SEI

 

Voltar ao topo