Página Inicial
Notícias
Acesso à informação

A Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), autarquia vinculada à Secretária do Planejamento (Seplan), sistematizou dados do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (Datasus) e analisou informações do Instituto Nacional de Câncer (Inca) sobre os aspectos do câncer de próstata no âmbito Bahia e Brasil.

O Novembro Azul é uma campanha de conscientização a respeito da saúde masculina, com ênfase na prevenção do Câncer de Próstata. Dados extraídos do Ministério da Saúde (DATASUS, 2020), apontam que entre as causas naturais de mortes entre homens na Bahia, as neoplasias malignas (câncer) figuram como o principal motivo. E o Câncer de Próstata destaca-se entre os demais. Apenas em 2019, foram 1.333 homens vítimas de Câncer de Próstata. Em termos relativos, a neoplasia maligna de próstata respondia por 18,9% dos óbitos masculinos por câncer na Bahia em 2019.  Ou seja, aproximadamente, de cada 10 homens que morriam em decorrência de alguma neoplasia no estado, dois foram vítimas do Câncer de Próstata. Relativizando pela população, se observa uma taxa de 17,1 vítimas a cada 100 mil homens. 

Diante desse cenário, é importante destacar que a incidência e mortalidade por Câncer de Próstata é uma realidade no contexto baiano, o que ratifica a importância da campanha Novembro Azul. Contudo, mesmo com todas as ações realizadas no decorrer dos últimos anos, o aumento médio no número de óbitos em decorrência desse tipo de neoplasia foi de 3,6% ao ano.  O que pode estar associado a determinados fatores de risco, como o consumo em excesso de bebidas alcoólicos e sobrepeso. Para além destes, componentes genéticos e histórico na família são outros fatores associados com a incidência do Câncer de Próstata. Contudo, a faixa etária é um determinante crucial nesse tipo de neoplasia: tanto a incidência quanto a mortalidade aumentam significativamente após os 50 anos. O risco de se tornar uma vítima fatal de Câncer de Próstata aumenta 3,2 vezes dos 40 para os 50 anos. 

Considerando essa elevada participação dos casos de neoplasia maligna de próstata na população masculina, o INCA (2019) apresenta uma estimativa para 2020 dos casos novos diagnosticados de Câncer de Próstata para o Brasil, Bahia e Salvador, respectivamente, 65.840, 6.130 e 1.090. Relativizando pela população masculina, as taxas eram de 63,0 novos casos a cada 100 mil brasileiros; 80,4 por 100 mil homens baianos; e 78,8 a cada 100 mil soteropolitanos. Para a Região Nordeste, essa taxa ficou em 72,4 a cada 100 mil homens nordestinos, a maior taxa entre as regiões brasileiras. Vale destacar que, as estimativas apontam taxas mais elevadas para a Bahia e Salvador comparadas ao Nordeste e o Brasil. Confirmando, assim, o Câncer de Próstata como uma questão de primeira grandeza na saúde do homem baiano. 

 

Dashboard câncer de próstata na Bahia 2020
Arquivo PPX

Voltar ao topo