Página Inicial
Notícias
Acesso à informação

O volume de serviços caiu 7,8%, na Bahia em março em comparação com o mês imediatamente anterior. Na comparação com março de 2019, caiu 12% e o indicador acumulado no ano decresceu 3,9%.  As informações foram divulgadas nesta terça-feira (12), através da Pesquisa Mensal de Serviços, realizada pelo IBGE e sistematizada pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), autarquia vinculada à Secretaria do Planejamento (Seplan).

O volume de serviços no Brasil marcou retração de 6,9%, em março de 2020, na comparação com o mês imediatamente anterior (série com ajuste sazonal), após ter registrado queda de 1,0% no mês de fevereiro. Este é o resultado negativo mais intenso desde o início da série histórica (janeiro de 2011). Seguindo o mesmo comportamento, a Bahia recuou 7,8%, após ter registrado recuo 0,1% em fevereiro mantendo a tendência de retração. Essa é a segunda variação negativa no ano de 2020, acumulando perda de 7,9%. Os impactos observados foram sentidos em função das medidas de isolamento social devido à Covid-19.

           

Análise da receita nominal de serviços

A receita nominal de serviços retraiu 10,7%, em relação ao mesmo mês do ano de 2019. Das cinco atividades, todas puxaram a receita de serviços para baixo, com destaque, por ordem de magnitude, as atividades de Serviços prestados às famílias (-34,2%), seguido por Outros serviços[1] (-15,1%), Serviços profissionais, administrativos e complementares (-8,1%), Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (-6,3%) e Serviços de informação e comunicação (-3,8%).

A receita nominal, no acumulado do ano de 2020, avançaram 0,4% nas atividades de Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio. Por outro lado, caiu 3,9 % em relação ao mesmo período do ano anterior, com destaque para as atividades de Outros serviços (-15,5%), Serviços prestados às famílias (-6,3%), Serviços de informação e comunicação (-6,1%), e Serviços profissionais, administrativos e complementares (-6,0%).

A receita nominal, no acumulado dos últimos 12 meses, marcou expansão nas atividades de Serviços profissionais, administrativos e complementares (1,0%), Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (0,8%), e Serviços prestados às famílias (0,7%). Por outro lado, a receita nominal marcou retração de 0,3% em relação ao mesmo período do ano de 2019, por ordem de magnitude, nas atividades de Outros serviços (-4,6%), seguida pelas atividades de Serviços de informação e comunicação (-3,9%). Confira o boletim com as análises completas, clique aqui!

 

Fontes: Ascom/SEI

 

 

 

 

 

Voltar ao topo