Página Inicial
Acesso à informação

 

O Indicador de Confiança do Empresariado Baiano (ICEB), índice que avalia as expectativas do setor produtivo do estado, calculado pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), apresentou, em dezembro, um quadro de menor confiança comparativamente ao observado no mês anterior.O ICEB marcou -17 pontos, piora de 17 pontos em relação ao registrado em novembro (zero ponto) – portanto, fim de um ciclo de três altas seguidas. A expectativa geral do empresariado baiano, assim, retornou para a zona de Pessimismo Moderado após um mês fora dessa região.Em dezembro, logo após alcançar o maior nível de confiança desde abril de 2013, o referido indicador recuou e se situou num estágio próximo ao do começo do ano. Trata-se do terceiro melhor patamar em 2018.A piora observada do nível de confiança evidenciou o retrocesso no indicador de dois dos quatro grupamentos de atividades: Agropecuária, com recuo de 100 pontos; e Serviços, de 36 pontos.

Por outro lado, Indústria e Comércio avançaram 31 e 58 pontos, respectivamente. Importante destacar, o pessimismo foi a tônica de um único setor em dezembro: Serviços.Em dezembro, a Agropecuária foi o setor com a maior queda de confiança, deixando de ser a atividade com a melhor pontuação após sete meses seguidos. Com a segunda alta seguida, a Indústria passou a sustentar o maior grau de confiança entre os grupamentos. Única com indicador negativo, a atividade de Serviços permaneceu, pelo segundo mês em sequência, no posto de mais pessimista. Por fim, mesmo com a maior alta da confiança, o setor de Comércio se mostrou o menos otimista entre aqueles com indicador positivo.Do conjunto de itens avaliados, crédito, PIB estadual e câmbio foram aqueles com as piores expectativas do empresariado baiano no mês. Em contrapartida, inflação, capacidade produtiva e vendas apresentaram os indicadores de confiança em melhor situação.

Voltar ao topo