Página Inicial
Acesso à informação

O Índice de Preços ao Consumidor de Salvador apresentou, em maio, variação de 0,73%, superior à taxa apurada em abril (-0,19%). Em maio de 2017, o IPC havia registrado variação de 0,48,%, segundo dados da Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI). No acumulado dos últimos 12 meses (jun. 2017-mai. 2018), a taxa situou-se em 4,87%, resultado inferior ao acumulado de junho de 2016 a maio de 2017, que foi de 5,46%.

Os produtos/serviços que exerceram maiores pressões positivas foram: Gasolina (8,08%), Gás de Cozinha (12,86%), Energia elétrica residencial (bandeira amarela) (7,13%), Móvel para sala (15,10%), Serviço de reparo automotivo (5,06%), Cebola (36,21%), Automóvel novo (0,81%), Tomate (20,38%), Ingressos para show (11,31%) e Óculos e lentes (6,82%). Em contrapartida, os produtos cujos preços tiveram maiores contribuições negativas na formação da taxa, com suas respectivas variações de preços, foram: Pacote turístico (-10,15%), Televisor (-25,76%), Cerveja fora do domicílio (-3,05%), Camisa masculina (-6,90%), Camiseta, blusa e blusão femininos (-6,66%), Conjunto feminino (-13,40%), Saia feminina (-13,01%), Brinquedos (-6,88%), Papel higiênico (-10,05%) e Diária de hotel (-14,52%).

Dos 375 produtos/serviços pesquisados mensalmente pela SEI, 167 apresentaram aumento nos preços, 90 não tiveram alterações e 118 registraram baixa nos preços.

Levando-se em conta apenas os reajustes individuais, os produtos cujos preços mais se elevaram, em maio do ano corrente, foram: tapete (43,15%), cebola (36,21%), tomate (20,38%), short infantil (17,85%), abacaxi (17,38%), batata inglesa (15,41%), banana da prata (15,14%), móvel para sala (15,10%), artigos ortopédicos (14,76%) e gás de cozinha (12,86%).

Desempenho dos grupos - Vale salientar que, em maio de 2018, dos sete grandes grupos que compõem o IPC/SEI, cinco variaram positivamente e dois registraram decréscimos. No grupo de Habitação e encargos ocorreu acréscimo de 3,30% em virtude da elevação nos preços de gás de cozinha (12,86%), energia elétrica residencial (bandeira amarela) (7,13%), cera lustra móveis (5,19%) e sabão em pó e em pedra (2,42%). O grupo Artigos de residência registrou elevação de 1,83% em por causa de variações nos preços de tapete (43,15%), móvel para sala (15,10%), prato/xícara (8,97%), batedeira de bolo (7,33%), batedeira de cozinha (6,16%) e cortina (4,76%). O grupo Transporte e comunicação apresentou aumento de 1,46%, em consequência das alterações nos preços da gasolina (8,08%), serviço de reparo automotivo (5,06%), óleo diesel (4,83%), etanol (3,21%) e gás natural veicular (2,37%).

 

O grupo Saúde e cuidados pessoais teve variação positiva de 1,02%, devido aos acréscimos nos preços de artigos ortopédicos (14,76%), perfume (8,11%), óculos e lentes (6,82%), antipsicótico (6,21%), sabonete (6,08%), antiácido (4,92%), escova de dentes (2,89%) absorvente higiênico (2,40%), anticoagulante e antianêmico (2,09%) e sabonete medicinal (1,72%). Já o grupo Alimentos e bebidas apresentou elevação de 0,64%. O grupo Vestuário apresentou variação negativa em -2,12% por causa da redução nos preços de fralda (-19,84%), conjunto feminino (-13,40%), saia feminina (-13,01%), vestido infantil (-11,68%) e camiseta masculina (-11,19%).Já o grupo Despesas pessoais apresentou queda de -1,04%, devido à diminuição nos preços de caderno (-22,12%), diária de hotel (-14,52%), pacote turístico (-10,15%), depilação (-8,83%) e brinquedos (-6,88%).

Voltar ao topo