Página Inicial
Notícias
Acesso à informação

Estado gerou 839 novos postos de trabalho em 2017

 

De acordo com as informações do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), sistematizadas pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia – SEI, a Bahia fechou 12.457 postos de trabalho com carteira assinada em dezembro de 2017. O resultado negativo decorre da diferença entre 36.540 admissões e 48.997 desligamentos.

 

Após eliminação líquida de 16.272 e de 18.968 postos de trabalho no mês de dezembro dos anos imediatamente anteriores, a Bahia ainda exibiu registro negativo, mas com redução da intensidade da perda. Porém, a perda líquida de dezembro de 2017 foi maior que a de novembro, quando 1.146 postos de trabalho foram suprimidos, sem as declarações fora do prazo.

 

Setorialmente, em dezembro, sete segmentos contabilizaram saldos negativos: Agropecuária (-3.485 postos), Serviços (-3.381 postos), Construção Civil (-3.126 postos), Indústria de Transformação (-2.913 postos), Administração Pública (-29 postos), Serviços Industriais de Utilidade Pública (-25 postos) e Extrativa Mineral (-7 postos). Em contrapartida, apenas um setor exibiu saldo positivo no mês, o setor de Comércio, com geração líquida de 509 postos.

 

Análise regional – Em relação ao saldo de postos de trabalho, a Bahia (-12.457 postos) ocupou a nona posição dentre os estados nordestinos e a vigésima dentre os estados brasileiros em dezembro de 2017. No Nordeste, além da Bahia (-12.457 postos), todos os outros oito estados da região apresentaram desempenho negativo no mês: Pernambuco (-8.314 postos), Ceará (-4.563 postos), Rio Grande do Norte (-2.851 postos), Paraíba (-1.912 postos), Alagoas (-1.272 postos), Sergipe (-1.152 postos), Maranhão (-987 postos) e Piauí (-824 postos).

 

No acumulado do ano, a Bahia gerou 839 novos postos de trabalho, levando em conta a série ajustada, que incorpora as informações declaradas fora do prazo. Este resultado fez com que a Bahia ocupasse a décima segunda posição no país e a quarta na região nordestina quanto à geração de empregos.

 

Analisando-se os dados referentes aos saldos de empregos distribuídos no estado em dezembro de 2017, constata-se perda líquida de emprego tanto na RMS quanto no interior, tendo ocorrido nesta última área de forma mais intensa. De forma mais precisa, enquanto na RMS foram eliminados 4.296 postos de trabalho no mês, no interior foram fechadas 8.161 posições celetistas.

Voltar ao topo