Página Inicial
Notícias
Acesso à informação

 

A Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI) apresenta a atualização do Índice de Performance Socioeconômica dos Municípios Baianos (IPESE) para o ano de 2014. Os resultados indicam que 351 municípios baianos (o que representava 84,2% do total), melhoraram sua performance socioeconômica em comparação a 2013. Contudo, 15,8% dos 417 municípios baianos reduziram seu desempenho no índice. O IPESE é um indicador sintético composto por três dimensões: duas sociais – Educação e Saúde; e uma de natureza econômica – Economia e Finanças e é uma reformulação dos antigos indicadores Índice de Performance Econômica e Índice de Performance Social.

 

Ainda de acordo com os dados de 2014, as dimensões de Economia e Finanças (80,1% dos municípios com melhora) e Saúde (77,9% dos municípios apresentam avanço) foram as principais responsáveis por essa melhora capturada pelo indicador.

 

O IPESE foi elaborado com a finalidade de ser um instrumento de monitoramento e avaliação de políticas públicas, medindo a oferta e a qualidade com que um município oferta certos serviços básicos a população. “O indicador tem como objetivo nortear o bom emprego dos recursos públicos, atentando para as prioridades a serem atendidas no recorrente comprometimento de mitigar as disparidades econômicas e sociais no estado da Bahia”, explica Urandi Paiva, coordenador de Estatística da SEI. O Índice segue uma escala de resultados que varia entre 0 (zero) e 1 (um). Para efeito de categorização, os índices resultados de cada município são ordenados conforme uma faixa de classificação: desempenho “muito baixo” – indicador abaixo de 0,299; desempenho “baixo” – indicador entre 0,300 e 0,499; desempenho “médio” – entre 0,500 e 0,699; desempenho “alto” – entre 0,700 e 0,899; e desempenho “muito alto” – indicador acima de 0,900.

 

Análise do IPESE - Em 2014, Mata de São João apresentou a melhor performance entre os municípios baianos, com o indicador de 0,844. O município destacou-se por apresentar um desempenho “muito alto” (1,000) na dimensão Economia e Finanças, “alto” (0,861) na dimensão Educação e desempenho “médio” (0,672) na Saúde. Lauro de Freitas aparecia na segunda posição com um IPESE classificado como “alto” (0,818). Os demais destaques foram Camaçari (0,806), Jaborandi (0,791) e Madre de Deus (0,786).

 

Ao analisar o comportamento do IPESE entre os anos de 2010 e 2014, observa-se que houve uma melhora na performance socioeconômica nos municípios baianos. No ano de 2010, dos 417 municípios, 40,3% apresentaram um nível “baixo”, enquanto que 57,8% foram classificados com uma performance “média”, e apenas 1,9% do total, ou seja, 8 municípios tinham o seu desempenho socioeconômico identificado como “alto”. Em 2014, 15 municípios tinham a performance classificada como “baixa” (3,6% do total), sendo 362 municípios (86,8%) com desempenho “médio”, e em 40 municípios, ou 9,6% do total, a performance era classificada como “alta”.

 

A dimensão Saúde teve como os principais destaques Maetinga (0,841), Madre de Deus (0,775), Lajedão (0,760), Guanambi (0,756) e Dom Macedo Costa (0,751). Analisando o comportamento do Índice do Nível de Saúde (INS), observa-se que houve uma pequena melhora.  Enquanto que em 2010, 84 munícipios (20,1% do total) apresentavam uma performance classificada como “baixa”, no ano de 2014, nenhum dos municípios baianos tiveram classificação “baixa” na saúde básica. De 2010 para 2014, houve aumento no número de municípios classificados com performance “média” e “alta”, respectivamente, de 329 para 373 municípios, e de 4 para 17 municípios.

 

O Índice do nível de Educação apresentou no ano de 2014 os seguintes destaques: Santa Inês (0,883), Bom Jesus da Lapa (0,880), Governador Mangabeira (0,878), Irecê (0,872) e Catolândia (0,869). Verificando o desempenho do indicador global de educação, observa-se que este apresentou uma melhora considerável, sobretudo, devido às notas do Índice da Educação Básica (IDEB) e aumento no número de matrículas do Ensino Fundamental e Médio. No ano de 2010, 406 municípios apresentaram uma performance “média” na educação, o que representava 97,4% do total. E em 2014, o indicador apresentou uma melhora considerável com 78,9% dos municípios classificados com nível “alto”, representando um total de 329 municípios.

 

A dimensão Economia e Finanças visa captar o dinamismo do mercado de trabalho e da atividade produtiva dos municípios e apresentou a maior variação no espectro de desempenho. No ano de 2010, havia municípios classificados em todas as faixas de performance: 87 municípios em nível “muito baixo”; 243 em nível “baixo”; 50 em nível “médio”; 31 em nível “alto”; e 6 em nível “muito alto” de performance. Em 2014, esse indicador apresentou uma pequena melhora: 23 municípios em nível “muito baixo”; 280 em nível “baixo”; 69 em nível “médio”; 38 em nível “alto”; e 7 em nível “muito alto“ de performance.

 

Entre os municípios com mais de 100 mil habitantes, para o ano de 2014, Lauro de Freitas apresentou o melhor resultado (0,818), seguido por Camaçari (0,806), Salvador (0,785), Barreiras (0,766) e Eunápolis (0,765). Embora em 2010 o município de Lauro de Freitas apresentasse uma performance média (0,680), nos anos subsequentes os indicadores apresentados por este foram destaques entre os demais municípios, quando consideradas as populações acima de 100 mil habitantes. Salvador, por sua vez, apresentou a performance socioeconômica “alta” nos quatro anos da série: (0,725) em 2010; (0,768) em 2011; (0,730) em 2012; (0,767) em 2013 e (0,785) em 2014.

Confira o ranking completo do IPESE clicando aqui.

Voltar ao topo