Página Inicial
Notícias
Acesso à informação

 

Estado exibe registro positivo na sua série de julho após três anos

 

De acordo com as informações do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), sistematizadas pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia – SEI, a Bahia criou 847 postos de trabalho com carteira assinada em julho de 2017. O resultado positivo é o primeiro após três anos de resultados negativos e decorre da diferença entre 45.302 admissões e 44.455 desligamentos.

 

Após eliminação líquida de 125 postos de trabalho (e de 8.207 e de 7.285 postos de trabalho nos anos imediatamente anteriores), a Bahia exibe registro positivo em sua série. O saldo de julho de 2017 se apresentou num patamar superior ao de junho, que foi de -1.290 postos de trabalho, sem as declarações fora do prazo.

 

Setorialmente, em julho, cinco segmentos contabilizaram saldos positivos: Serviços (+1.726 postos), Indústria de Transformação (+918 postos), Construção Civil (+590 postos), Administração Pública (+202 postos) e Extrativa Mineral (+62 postos). Por outro lado, os setores que desligaram trabalhadores celetistas foram: Comércio (-1.473 postos), Agropecuária (-1.057 postos) e Serviços Industriais de Utilidade Pública (-121 postos).

 

Análise regional – Em relação à geração líquida de postos de trabalho, a Bahia (+847 postos) ocupou a quarta posição dentre os estados nordestinos e a 13ª no Brasil em julho de 2017. Na Região Nordeste, além da Bahia (+847 postos), mais seis estados apresentaram desempenho positivo: Ceara (+1.871), Maranhão (+1.567 postos), Rio Grande do Norte (+963 postos), Paraíba (+809 postos), Pernambuco (+794 postos) e Piauí (+240 postos). Em contrapartida, Sergipe (-309 postos) e Alagoas (-141 postos) eliminaram posições celetistas.  

Voltar ao topo