Página Inicial
Notícias
Acesso à informação
Foto: Arisson Marinho/SECOM

Em Salvador, ração essencial mínima apresentou aumento de 1,1%, assim como as cidades de Vitória da Conquista e Ilhéus. Itabuna registrou redução no valor.

 

No mês de março, a ração essencial mínima passou a custar R$ 318,29, representando uma elevação de 1,1% quando comparado com o mês de fevereiro de 2017. As informações foram analisadas pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), autarquia vinculada à Secretaria do Planejamento (Seplan), em parceria com a Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC) e a Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB).

Dos doze produtos que compõem a ração essencial mínima, definida pelo Decreto-lei 399, de 30 de abril de 1938, oito registraram elevações nos preços, a saber: Tomate (11,8%), Manteiga (2,1%), Café moído (2,0%), Arroz (1,8%), Carne bovina (cruz machado) (0,8%), Óleo de soja (0,7%), Pão francês (0,5%) e Farinha de mandioca (0,2%). Todavia, quatro produtos apresentaram redução, a saber: Banana-prata (-5,2%), Feijão rajado (-4,0%), Açúcar cristal (-1,0%) e Leite pasteurizado (-0,8%).

No mês em análise, o tempo de trabalho necessário para se obter a cesta básica de Salvador foi de 81 horas e 13 minutos, e o trabalhador comprometeu 36,9% do salário mínimo líquido  para adquirir os 12 produtos da cesta.

 

Em Vitória da Conquista - A ração essencial mínima em Vitória da Conquista passou a custar R$ 323,53 em março de 2017, representando um acréscimo de 2,79% quando comparado com o mês de fevereiro de 2017. Os principais produtos responsáveis por esse aumento foram: Banana-prata (8,16%), Tomate (5,34%), Carne (4,18%) e Pão francês (3,80%). Dos 12 produtos que compõem a ração essencial mínima, onze registraram variações positivas: Banana-prata (8,16%), Tomate (5,34%), Carne (4,18%), Pão-francês (3,80%), Café-moído (2,50%), Manteiga (1,05%), Leite (1,00%), Arroz (0,95%), Óleo (0,51%), Farinha (0,11%) e Açúcar (0,03%). Apenas um produto registrou variação negativa: Feijão (-3,64%). No mês em análise, o tempo de trabalho necessário para se obter a cesta básica foi de 82 horas e 34 minutos, e o trabalhador comprometeu 37,53% do salário mínimo líquido para adquirir os 12 produtos da cesta.

 

Em Itabuna - A ração essencial mínima em Itabuna passou a custar R$ 311,13 no mês de março na cidade de Itabuna, uma redução de 0,78% quando comparado ao mês anterior. Dos 12 produtos que compõem a cesta básica, sete apresentaram diminuição no custo, são eles: banana da prata (-16,83%), feijão (-8,03%), arroz (-5,72%), carne (-3,52%), leite (-1,83%), óleo de soja (-1,17%) e açúcar (-0,63%). Em contrapartida, tomate (15,88%), manteiga (13,25%), farinha de mandioca (3,73), pão (3,16) e café (0,55%), aumentaram de preço. Em março, o tempo de trabalho despendido para se obter a cesta básica em Itabuna foi de 79 horas e 24 minutos, um comprometimento de 36,09% do rendimento líquido.

 

 

Em Ilhéus - A ração essencial mínima passou a custar R$ 345,29 no mês de março na cidade de Ilhéus, aumento de 1,79% em relação ao mês anterior. Dos 12 produtos que compõem a cesta básica, seis apresentaram aumento no preço: tomate (18,98%), café (3,08%), manteiga (2,24%), banana da prata (1,93%), leite (1,51%) e carne (0,94%). Os demais itens reduziram de preço: açúcar (-10,45%), feijão (-8,62%), arroz (-3,63%), farinha de mandioca (-2,04%), óleo de soja (-1,36%) e pão (-1,35%). Em março, o tempo de trabalho despendido para se obter a cesta básica em Ilhéus foi de 88 horas e 07 minutos, um comprometimento de 40,05% da renda.

Voltar ao topo